Emissão de NF-e

No material a seguir vamos ver como gerar uma nota fiscal eletrônica no sistema Datamex.

O foco do conteúdo será a emissão de notas fiscais eletrônicas (NF-e – modelo 55), que podem ser referente à saídas ou entradas.

Por exemplo, quando um armazém geral recebe mercadorias é necessário gerar uma nota registrando a entrada de tais mercadorias.

Para registro de saídas temos situações como as vendas de produtos, devoluções de mercadorias, remessa de mercadorias para armazenagem, entre outros casos.

Para emissão de NF-e no sistema Datamex, seguir os passos abaixo:

  1. Acessar o menu Financeiro/Notas Fiscais/Notas Fiscais e clicar em “Adicionar”.

2. Preencher os dados solicitados

  • Tipo: indicar se a nota é de entrada ou de saída.
    • Ex: uma nota de recebimento de mercadoria para armazenagem é um documento de entrada, já a venda de mercadorias é um saída.
    • Caso o tipo definido seja “Entrada”, outras opções poderão aparecer em tela, principalmente se a empresa trabalha com movimentação de cargas (estoque próprio ou armazenagem de terceiros). Confira aqui o tópico específico sobre lançamento de notas fiscais de entrada.
  • Emissão / Entrada: campos que o sistema já traz preenchidos automaticamente com a data atual. Se estiver dando entrada em uma nota de data anterior, basta alterar a informação do campo.
  • Operação: definir a natureza de operação do documento.
    • É na configuração dos códigos que estão definições como a criação automática de um título a pagar ou título a receber no módulo financeiro, entre outras diversas situações.
    • Dependendo de como o tipo de operação estiver configurado, poderão ser exigidos o preenchimento de campos adicionais, tais como: informações sobre o proprietário da carga (nos casos de notas de armazenagem) ou dados para programação das contas a pagar ou receber no módulo financeiro.
  • Modelo: como a tela de notas fiscais tem capacidade para ser utilizada por múltiplas empresas e pode ser utilizada também para emissão de notas de serviço eletrônica (NFSe), podem existir diversos modelos cadastrados. Por isso, é importante o usuário definir o modelo correto da nota que pretende emitir.
  • Cliente / Fornecedor: campo para definir o cliente (nos casos de notas de saída) ou o fornecedor (nos casos de notas de entrada) para o qual está sendo realizada a emissão da nota.
  • Endereço: o sistema preenche esse campo automaticamente com o endereço da pessoa definida no campo anterior, porém, se a pessoa possuir mais de um endereço cadastrado você poderá escolher o desejado.
  • Indicador de presença: pode ser que esse campo esteja configurado no tipo de operação para não aparecer em tela, pois a ele foi atribuído um valor padrão, mas se o campo estiver em tela basta preenchê-lo conforme as opções disponíveis.
    • Essa informação é uma exigência do fisco e consta no arquivo XML da nota.
  • Forma de Pagamento da NFe: outra opção que pode estar com um valor padrão definido na configuração do tipo de operação, mas que se estiver disponível em tela deverá ser preenchido conforme a negociação realizada.
    • Essa informação é uma exigência do fisco e consta no arquivo XML da nota.
  • Quadro “Programação de Pagamento” (será mostrado em tela apenas se o tipo de operação estiver configurado para gerar a criação automática de título no módulo financeiro).
    • Forma de Pagamento: campo para informar ao módulo financeiro do sistema como se deu a negociação. Essa informação poderá ser filtrada em relatórios.
    • Condição de Pagamento: campo para definição da informação relativa à data de vencimento do título que será gerado no módulo financeiro.
  • Transporte: no caso de uma nota de venda de produto, poderá preencher os dados da transportadora que realizará a o transporte.
    • Em casos de notas de entrada onde a nota possui valor de frete e esse influencia no total da nota e se essa nota implicará em programação de conta a pagar, o campo “Frete por conta” deverá ser definido com o valor “Contratação do Frete por conta do Destinatário (FOB)”.
  • Observações: campo de texto livre onde poderão ser definidas informações que devem constar na impressão da nota fiscal.

Após o preenchimento dos campos necessários, clicar em “Cadastrar“.

3. Adicionar os itens à nota

Para inserção dos itens (produtos) na nota o usuário deve clicar em “Adicionar” dentro da aba Produtos.

O sistema abrirá a tela abaixo:

  • CFOP: cada ítem de uma nota fiscal possui o seu Código Fiscal de Operações e Prestações (CFOP). Ao deixar esse campo vazio o sistema definirá como CFOP do item o mesmo código utilizado como tipo de operação da nota.
    • Resumidamente, o CFOP indica se há ou não recolhimento de impostos sobre os produtos e como isso deve ocorrer.
      • Primeiro dígito: determina se o produto ou a atividade é de entrada (1, 2 e 3) ou de saída (5, 6 e 7).
      • Segundo dígito: mostra qual é o grupo ou a operação referida no documento fiscal (compra, devolução, exportação, etc…).
      • Terceiro e quarto dígitos: estes algarismos não podem ser analisados separadamente, pois identificam a operação, o tipo de produto (imobilizado/uso e consumo), condição da operação, etc. 
  • Família: campo com a finalidade exclusiva de auxiliar na busca de um produto no próximo campo, ou seja, se for definida uma família somente produtos que estejam vinculados a ela é que vão aparecer na pesquisa do campo “Produto”.
  • Produto: campo destinado para definição do produto que constará na nota. Caso o produto ainda não esteja cadastrado no sistema é preciso cadastrá-lo.
  • Quantidade: informar a quantidade do produto definido.
  • Unidade: campo para detalhar a unidade de medida do produto.
  • V. Unitário: indicar o valor unitário do produto.
  • V. Total: com base na quantidade e valor unitário o sistema definirá o valor total do produto.
  • Classificação Fiscal ICMS: dependendo de como o sistema estiver configurado, esse campo poderá estar visível. O seu preenchimento estará ligado às configurações criadas através do menu Financeiro / Configurações / Fiscal / Classificação Fiscal.
    • Essa informação definirá os CSTs de ICMS, IPI, PIS e COFINS dos produtos tanto nos registros de entradas quanto nos registros de saídas.
    • Veja aqui como vincular um produto a uma classificação fiscal.

Uma vez definido o produto, basta clicar em “Cadastrar“.

Para finalizar o lançamento da nota, deve-se clicar em “Gravar“.

4. Transmissão da NF-e

Havendo necessidade de transmissão da NF-e para a Secretaria da Fazenda, abaixo é demonstrado como proceder:

  1. Selecione o registro desejado;
  2. Clique no ícone “NFe” (logotipo da Receita Federal);
  3. Selecione a opção “Enviar para Secretaria da Fazenda”;
  4. Clique em “Executar”.
Atualizado em 20 de setembro de 2021

Este artigo foi útil?

Artigos relacionados

Deixe um comentário