Lembre-se de acessar a central de ajudas através do seu sistema e-Login para ter acesso completo ao conteúdo.

Alerta: quantidade preenchida no campo eixo difere do somatório de eixos dos veículos

Problema

O sistema espera que o valor informado no campo ‘Nro. Eixos’ do bloco Informações para cálculo do frete mínimo seja equivalente ao somatório de eixos dos veículos selecionados para emissão de conhecimento ou contrato de frete

Leia mais ›

Novos campos que precisam ser preenchidos para geração do CIOT – Frete mínimo

Com a entrada em vigência da lei 5.862 (CIOT para TODOS) novas informações deverão ser enviadas às operadoras de crédito para que seja possível obter o CIOT.

Leia mais ›

540 – Rejeição: Grupo de documentos informado inválido para remetente que emite NF-e

Problema

Quando for emitido um CT-e que atenda as características abaixo:

Leia mais ›

Evento de Comprovante de Entrega Eletrônico do CT-e

O que é e para que serve? O comprovante de entrega eletrônico é um tipo evento da SEFAZ e tem como objetivo indicar a efetivação da entrega da carga pelo transportador.

Características: Deve ser lançado pelo emitente do CT-e e assinado com seu certificado digital.

Quais informações são enviadas no comprovante? As informações que deverão ser enviadas pelo transportador são:

*Descrição do Evento: Comprovante de Entrega do CT-e;
*Protocolo: Número do protocolo de autorização do CT-e;
*Data de entrega: Data e hora da conclusão da entrega;
*Número do documento: Documento de identificação da pessoa que recebeu a entrega;
*Nome: Nome da pessoa que recebeu a entrega;
Latitude: Latitude do ponto da entrega (detectado pelo equipamento do transportador, exemplo: PDA, tablet, celular);
Longitude: Longitude do ponto da entrega (detectado pelo equipamento do transportador, exemplo: PDA, tablet, celular);
*Hash Entrega: Imagem capturada da assinatura eletrônica, digital do recebedor, foto, etc) ;
*Data e Hora Hash: Data e hora da geração do hash da entrega;
Informações de Entrega: Grupo de informações das entregas. Informar apenas para CT-e com tipo de serviço Normal;
Chave da NF-e: Chave de acesso da NF-e que está sendo entregue;
*As informações antecedidas por asterisco são obrigatórias.


Configurando o Comprovante de Entrega no sistema:

Os comprovantes serão lançados junto das ocorrências de transporte.
No cadastro do tipo de ocorrência efetuas as configurações:

Obrigar anexo: definir como ‘SIM’, já que a SEFAZ obriga uma imagem/documento para este tipo de evento;
Gerar comprovante de entrega?
Automaticamente: Sempre que a ocorrência configurada for lançada, automaticamente haverá a tentativa de integração com a SEFAZ para geração do evento de comprovante eletrônico;
Apenas manualmente: O envio do evento de comprovante eletrônico deverá ser feito manualmente pelo usuário;
Não gerar: Esse tipo de ocorrência não permitirá geração de evento.

Para as ocorrências configuradas com ‘Apenas manualmente‘, o evento deverá ser enviado pela tela de ocorrências, para isso selecionar a ocorrência, clicar no ícone da SEFAZ e na opção ‘Enviar evento para a Sefaz‘ e depois em ‘Executar‘.

Após a tentativa de envio, será exibido o ícone da SEFAZ indicando sucesso ou insucesso na coluna CeCT-e, assim como já acontece na tela de conhecimento, por exemplo.

Também é possível cancelar os eventos, também clicando no ícone da SEFAZ (Comprovante de Entrega Eletrônico) e clicando em ‘Cancelar evento na Sefaz).

CIOT PARA TODOS

A Resolução nº 5.862 que estabelece a geração de CIOT em todas as operações de transporte rodoviário de cargas irá começar a valer em breve.

Leia mais ›

[TMS] Tipos de Ocorrências

O material a seguir explicará a utilização de cada um dos campos existentes na criação de um novo tipo de ocorrência. Os tipos de ocorrências são utilizados para registro de algum evento relacionado à viagem e podem ser criados através do menu Transporte / Configurações / Tipos de Ocorrências.

Leia mais ›

Entendendo a tabela de frete mínimo

Neste tópico faremos uma breve explicação sobre a tabela de frete mínimo e seus impactos.H

Como surgiu?

As informações abaixo foram obtidas da página da ANTT:

“A Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas (PNPM-TRC) foi criada pelo Governo Federal em resposta à manifestação dos caminhoneiros, ocorrida em maio de 2018. Foi instituída, inicialmente, com a publicação da Medida Provisória nº 832, de 27 de maio de 2018, objetivando “promover condições razoáveis à realização de fretes no território nacional, de forma a proporcionar a adequada retribuição ao serviço prestado”. Posteriormente, em 08 e agosto de 2018, a mencionada medida provisória foi convertida na Lei nº 13.703/2018.
Lei nº 13.703/2018 atribuiu à ANTT a função de regular o assunto, determinando a publicação de norma estabelecendo os pisos mínimos referentes ao quilômetro rodado na realização de fretes, por eixo carregado, consideradas as distâncias e as especificidades das cargas definidas no art. 3º da Lei.”

Desde então, diversas mudanças já foram efetuadas na lei que regulamenta o piso mínimo e continuam sendo feitas, a medida que os caminhoneiros reividicam melhorias.

A resolução mais recente Nº 5.867, de 14 de janeiro de 2020, trouxe mudanças como:

  • Inclusão da carga granel pressurizada, totalizando 12 categorias de carga;
  • Inclusão de tabelas específicas para operações de transporte de alto desempenho;
  • Obrigatoriedade de pagamento do retorno vazio para o transporte de contêineres e nos casos de veículos de frotas específicas, dedicados ou fidelizados por razões sanitárias ou submetidos a certificações que delimitem o tipo de produto que pode ser transportado;
  • Incorporação do custo de diárias;
  • Atualização de preço dos insumos.

Quais transportadores estão sujeitos à tabela de frete?

Todos os transportadores (autônomos, empresas e cooperativas) que realizam transporte rodoviário remunerado de cargas estão sujeitos ao estabelecido na Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas – PNPM-TRC.

Como calcular o piso mínimo?

O cálculo do piso/frete mínimo envolve diversas variáveis, tais como: o tipo de carga a ser transportada, a quantidade de eixos do veículo e a distância percorrida. A Datamex oferece uma tabela para o cálculo do frete mínimo, disponível AQUI, de modo que o usuário evite realizar os cálculos de maneira manual.
Além disso, também é possível disponibilização de tabela para cálculo do piso mínimo na tela de emissão de contrato de frete, caso seja interesse da empresa em ativar essa tabela, acionar nosso suporte técnico.

Resolução ANTT 5.862 (CIOT PARA TODOS)

Foi publicada a Resolução ANTT nº 5.862 de 17/12/2019 que trouxe alterações na obrigatoriedade de emissão do CIOT.

Leia mais ›

Como se credenciar na E-frete para emitir CIOT?

Este tópico tem por objetivo orientar ao cliente quanto a abertura de chamado junto a E-frete para credenciamento.

Leia mais

Como abrir um Protocolo no site da ANTT?

Este tópico tem por objetivo orientar ao cliente quanto a abertura de Protocolo junto a ANTT.

Leia mais
FICOU COM DÚVIDA? Encaminhe e-mail para: suporte@datamex.com.br
Se preferir falar conosco:
Porto Alegre / RS 051 4063 8343
Rio Grande / RS 053 3036 2525
Caxias do Sul / RS 054 4062 9320
Rio de Janeiro / RJ 021 4063 8395
Itajaí / SC 047 4054 9320
Paranaguá / PR 041 4064 9110
Belo Horizonte / MG 031 4063 8310
São Paulo / SP 011 4063 8395


AINDA NÃO É CLIENTE DATAMEX? Não perca tempo, conheça a solução Datamex para a Gestão de Transportadoras, Armazéns Gerais e Empresas de Logística: Emissor de CTe, MDFe, CIOT e EDI